Lóris Isatto na ABAV

Notícia sobre o desenvolvimento do turismo no Brasil em 1984, quando Lóris Isatto estava na vice-presidência da ABAV Nacional. Abaixo da reprodução do jornal, a transcrição do texto:

Turismo externo nos dá US$2,5 bilhões

PORTO ALEGRE – O vice-presidente da Associação Brasileira de Agentes de Viagens (Abav) Loris Isatto, informou que, este ano, o Brasil vai arrecadar US$ 2,5 bilhões em divisas provenientes do turismo estrangeiro. “Na pauta de exportações brasileiras, o turismo está em quarto lugar e por isso é cada vez maior a preocupação do Governo e dos empresários nacionais do setor em incentivá-lo”, explicou Loris Isatto, salientando que, no ano passado, vieram ao País 1,4 milhão de turistas, proporcionando US$ 1,6 bilhão em divisas.

Durante entrevista coletiva em Porto Alegre, Isatto revelou que o número de turistas estrangeiros que visitam o Brasil cresce anualmente, apesar da crise econômica que afeta a maioria dos países. “Em 1982, recebemos 1,1 milhão de turistas e no ano passado este número foi acrescido de mais 300 mil”, informou o vice-presidente nacional da Abav, salientando não ter condições de prever o número de turistas estrangeiros no Brasil este ano, mas assegurando que será bem superior ao de 1983.

Pacote menor

Ressaltando a importância do turismo, por gerar emprego interno, divisas ao Estado e cultura, Loris Isatto disse que o Governo e o empresariado gaúcho, a exemplo também do que está sendo feito nos demais Estados da Federação, procuram incrementar o turismo de uma maneira geral. “Os estrangeiros são importantes, mas não podemos depender apenas deles. Temos de incentivar o turista interno, mesmo conscientes da perda do poder aquisitivo da população”, lembrou Isatto, ressaltando que agora as empresas, após intensa campanha publicitária, podem partir para “pacotes” mais barato. Isto é, oferecer hotéis de duas ou três estrelas, ao invés de quatro ou cinco, e períodos mais curtos de visita.

Na temporada de veraneio deste ano, os litorais gaúcho e catarinense receberam 100 mil turistas argentinos e uruguaios. Como Loris Isatto entende que as situações econômicas da Argentina e Uruguai, no momento, são mais favoráveis ao turismo no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, do que em 1983, ele acredita que haverá um acréscimo da ordem de 20%.

Exportação

O ministro interino da Indústria e do Comércio, Nelson Boechat Cunha, anunciou que vai propor à Careira de Comércio Exterior do Banco do Brasil (Cacex) que a rede hoteleira do País passe a ser considerada como setor de exportação de serviços. O MIC, segundo Boechat, quer que as empresas hoteleiras recebam os benefícios e estímulos concedidos normalmente às exportações.

Notícia no Jornal Panrotas nº 368, de 16 a 22 de novembro de 1999, com menção a Lóris Isatto como um dos vice-presidentes da ABAV-RS (pág. 20).

Jornal Panrotas nº 368, de 16 a 22 de novembro de 1999, pág. 20. Lóris Isatto era um dos vice-presidentes da ABAV-RS na época

Reprodução de páginas do livro comemorativo dos 50 anos da ABAV nacional. Transcrição parcial abaixo da imagem.

Reprodução de livro comemorativo dos 50 anos da ABAV

Do Rio Grande do Sul saíram um presidente do Conselho Nacional (Pedro Chaves Barcellos), diversos vice-presidentes e ainda dois presidentes da Cotal, Lóris Isatto e o próprio Pedro Chaves Barcellos. Aconteceram no Rio Grande do Sul, também, dois congressos nacionais de agentes de viagens: o terceiro,
em 1975, e o décimo oitavo, em 1990.

Desde a fundação, presidiram a ABAV-RS: Milton Brutschin, Thomé Peixoto Madeira, Milton Geral Zandonai, João Carlos Kopp, Francisco José Calero Costa, Waldir Cardoso da Silva, Pedro Chaves Barcellos, José Pedro Braun, Abrahão Finkelstein, Daisy Reguly, João Carlos Predebon, Lóris José Isatto, Valter Steiner, Jorge Furjan Paller, José Torrano Coelho da Costa e Mário Dick.

O atual presidente, eleito em 2003, é Manoel Juarez Lima da Silva.

Veja também:

ABAV-RS
ABAV Nacional